segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Teste de Turing

O último prego no caixão da educação.

Às vezes chego quase a acreditar que fomos invadidos por andróides sem emoções. A quantidade de pessoas cujo único objetivo na vida é serem desagradáveis e fugirem pela tangente quando são perguntadas sobre coisas que não entendem é realmente cada dia maior.

Muita gente usa fórmulas cansadas como a famosa “se você não entende de *****, como vai entender de ...”, sempre dão respostas evasivas para tudo e esperam que todos riam com a demonstração de ignorância absoluta deles.

Muita gente se irrita até mesmo com um bom dia, como se fosse uma provocação e não um desejo que o dia não seja tão desagradável. Acabam parecendo mais com a mosca que procura insistentemente uma ferida num corpo absolutamente são e não com a abelha que procura uma flor em todo um pântano.


Nos anos cinqüenta e sessenta, pelo que vejo em filmes, deve ter sido quase impossível alguém ter este tipo de comportamento. Mas, a partir dos setenta, parece que isto se tornou uma atitude se não louvável, pelo menos aceitável. E hoje, pessoas sem nenhuma educação aparentam ser bem mais normais do que gente que se esforça para não parecerem com completos idiotas.

No mundo da computação existe um teste chamado de Teste de Turing, onde alguém conversa num chat ou com um programa ou com uma pessoa de verdade. Se o programa de inteligência artificial for bom o suficiente, o testador não perceberá que está falando com uma máquina. Mas acho que se ele fosse falar com um destes seres suspeitos de não ter alma, ele acabaria desconfiando da sua natureza não humana, de suas frases feitas, da repetição compulsiva de bordões da televisão e do seu “bom humor” agressivo.

Sei que muitos usam máscaras para parecerem mais ajustados à sociedade, mas acho realmente estranho que as pessoas não se importem em aparentarem não ter nenhuma educação, nem um pouquinho de cultura e muito menos opiniões próprias, acho isto perigoso e infelizmente vejo que é algo cada vez mais comum pelo menos neste país. Fico realmente apreensivo de ver que as pessoas não se importam mais em parecerem imbecis.

Já vi garotas aparentemente normais quase me acusarem de invasão ao eu ter retribuído uma visita no Orkut, ou seja, elas podem entrar no meu perfil à vontade, mas eu não tenho os mesmos direitos. Até pouco tempo esta pessoa seria chamada de troll na Internet, alguém que só entra para provocar discussões inúteis e se acha acima do bem e do mal não podendo nunca ser atacada do jeito que ataca indiscriminadamente todo mundo.

Parece que os trolls saíram da Internet e querem conquistar o mundo real, e o pior, sem a aparência desagradável da mitologia.

Já falei sobre algo semelhante em Internet para os mais educados. Acredito que o tema não tenha fim.

2 comentários:

Thiago Luiz Torquato disse...

Opa, está revoltado hein Aguinaldo. Mas isto é uma realidade. A falta de educação está passando de excessão a regra com o passar dos anos, infelizmente...

Aguinaldo disse...

Não é revolta, é constatação!

Alguém tinha que se manifestar.

Eu sou o tipo do cara que perde a paciência e acaba falando pro fulano que ele tem mal hálito.

O normal é tentar aceitar as coisas do jeito que são.

Google Analytics

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

wibiya widget