quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Tropa de Elite - Bope

Podem dizer que é notícia velha, mas não é notícia, é talvez uma análise do que levou a este excelente filme chegar a existir.

Por onde começar? Não é a primeira vez que a telona nos mostra a favela. Já tivemos Cidade de Deus, Falcão - Meninos do Tráfico e agora Tropa de Elite.

Duas grandes mudanças que o filme proporcionou foram a descoberta de que o público do cinema e o do camelô são diferentes e que não é preciso fazer adaptações do modo de ser de Hollywood para fazer um grande filme nacional.

Realmente fica chato assistir um filme brasileiro e perceber que se os personagens se chamassem Mary e Peter e não Maria e Pedro, não faria uma diferença tão grande, afinal eles vivem num mundo americanizado, com sonhos americanos e vidas de americanos. Não que o cinema tenha que se focar totalmente na favela e no universo que existe e gira ao seu redor, afinal a grande maioria das cidades brasileiras é pequena demais para ter uma favela.

A pluralidade é sempre bem vinda, mas nestas três obras, houve uma humanização do que era visto como aliens, e digo do que e não de quem, já que realmente havia uma completa desumanização na população de classe média deste país em relação a quem é pobre.

A desigualdade social deste país é tão grande que consegue fazer com que o bispo que recebeu o papa fosse vizinho de traficantes perigosos.

Uma terceira descoberta foi a de que existe honestidade na polícia, mesmo que não seja na sua grande maioria. Por sinal, autoridades policiais queriam apagar este retrato não tão agradável de nossa força policial antes que ele chegasse ao grande público. Seria um pouco tentar tapar o sol com a peneira, já que a imagem da polícia e dos militares está manchada desde a ditadura militar, e ironicamente o filme só fez abrandá-la. Juntando a isto a ótima imagem que a Polícia Federal tem conseguido nos últimos anos, criou-se um sentimento de esperança quanto ao futuro deste país, já que nem todos os que mandam ou tem algum poder sobre a população desarmada e desorientada estão completamente corrompidos e ávidos de saques fáceis junto a esta mesma população, seja ela de qual classe for.

Outra visão bem lúcida, mas focada totalmente no cinema como espetáculo eu achei no Guia Dicas.

3 comentários:

Guia Dicas disse...

Pelo que li de seu post ele ficou bem maneiro.

Parabéns!

Aguinaldo disse...

Obrigado pelo elogio, tenho me esforçado.
Abraços

Aguinaldo disse...

Fico feliz em perceber que os blogs podem ser ferramentas colaborativas, cada um podendo contribuir com sua visão pessoal de cada assunto.
Abraços

Google Analytics

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

wibiya widget